Reunião debate plano de ampliação dos Comitês Interinstitucional de Segurança Pública no estado

Segurança Pública

04/10/2021 – 11:29

Redator: Sarah Cardoso

Coordenadores do Comitê Interinstitucional de Segurança Pública, Cisp, se reuniram virtualmente no dia 1º de outubro de 2021, para partilhar experiências de suas respectivas comarcas, tirar dúvidas e propor ações futuras para os comitês. Os promotores estabeleceram diretrizes para a ampliação do projeto, com planos de gerar instruções para a instalação dos próximos comitês.

O coordenador do Centro de Apoio Operacional de Segurança Pública e Defesa Social, o Ceosp, Luís Alberto Vasconcelos, abriu a reunião destacando a importância da iniciativa e suas possibilidades no futuro. “O Cisp vem para reforçar o projeto de incremento à segurança pública de forma integrada. Acredito que o Cisp caminha no sentido de se transformar, efetivamente, em atribuição, e de termos promotores de segurança pública também no interior.”

O coordenador estadual dos Cisp, o promotor Áviner Rocha Santos, conduziu a reunião levantando as pautas consultadas previamente entre os promotores. Foi acordado que o grupo produziria um “passo a passo” para a instalação do Cisp e do Conseg, Conselho Comunitário de Segurança Pública, nas comarcas. O manual deve orientar promotores interessados no projeto, ensinando, por exemplo, as etapas de implantação do Cisp e do Conseg, quais ações executar desde o princípio, quem deve ser convocado para as reuniões e como estabelecer as metas.

A promotora de Justiça e coordenadora do Cisp de Camaçari, Aline Cotrim Chamadoira enfatizou a importância do Conseg no sentido de inserir a sociedade, de forma ativa, dentro da pauta da segurança pública. “A partir da implementação de Conseg’s, se fomenta que pessoas da sociedade se preocupem com a segurança pública e possam se sentir representadas e responsáveis por isso também”.

Livia Luz Farias, promotora de Justiça e coordenadora do Cisp de Valença, destacou a autonomia dos comitês. “O conselho de segurança, quando bem instalado, ganha vida própria. As pessoas começam a se conscientizar e saber do que se trata. O objetivo é que eles andem sozinhos”.

 

* Estagiária de Jornalismo sob supervisão de George Brito (DRT-Ba 2927)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *